Análise: Homem-Formiga e a Vespa (2018)

Totalmente despretensioso e simples, Homem-Formiga e a Vespa consegue se encaixar perfeitamente na linha do tempo da Marvel.

Sempre fui fã de quadrinhos, e a primeira reação que tive quando foi anunciado que teríamos um filme do Homem-Formiga foi medo, não imaginei que o filme poderia se sustentar sozinho em meio aos demais filmes da Marvel até então, e quando soube que o protagonista seria Scott Lang (Paul Rudd) e não Hank Pym (Michael Douglas) fiquei mais preocupado ainda, e para minha sorte, eu estava totalmente errado em me preocupar.

O primeiro filme do Homem-Formiga tem a necessidade de dar uma origem para o herói mas faz isso de forma divertida e cômica, diversão essa que se mantem no segundo filme da franquia que foca totalmente nas relações dos protagonistas, nas consequências dos atos do primeiro filme e na construção de elos entre os personagens.

O plot do filme é simples, Hank Pym que trazer sua esposa (Michelle Pfeiffer) de volta do mundo quântico com a ajuda de sua filha, Hope (Evangeline Lilly), porém eles precisam da ajuda de Scott Lang que está em prisão domiciliar depois dos acontecimentos de Guerra Civil. Esse plot simples se encaixa perfeitamente na linha do tempo da Marvel principalmente pelo fato de que o filme se passa antes de Guerra infinita e responde uma pergunta que todos fizeram … ‘onde estava o Homem-Formiga?”.

A história e muito bem construída, e consegue dar um destaque ainda maior para os personagens secunsecundários e coadjuvantes como Hank Pym e o grupo de assaltantes amigos do Lang (Principalmente para o Luis, que tem algumas das cenas mais engraçadas do filme). O filme é carregado pela comédia e consegue prender o espectador do começo ao fim com cenas incríveis de ação e momentos cômicos que se encaixam perfeitamente no roteiro.

No fim, Homem-formiga é um filme despretensioso do começo ao fim, traz uma história fechada e bem desenvolvida do herói que revela elementos importantes para a continuação do universo Marvel, e se eu puder dar uma dica, eu digo para que não saia da sala de cinema antes do fim dos créditos, pois em menos de um minuto a Marvel conseguiu amarrar (E muito bem) esse filme com todo o futuro da Marvel e dos Vingadores.

 

NOTA:  (BOM)

Texto por: Luis Hunzecher